A cada 2 minutos uma pessoa morre de uma doença do coração no Brasil

A cada 2 minutos uma pessoa morre de uma doença do coração no Brasil

As doenças relacionadas ao coração estão no topo do ranking dos problemas de saúde que mais matam no mundo. Somente no Brasil elas são responsáveis por mais de 300 mil mortes por ano, o que serve de alerta para quem não tem o hábito de fazer exames periódicos. A média é de uma morte a cada dois minutos.

A principal causa que não pode ser alterada é a predisposição genética. Mas, mesmo com ela, são os maus hábitos de vida que antecipam e agravam as doenças cardiovasculares. Um dos maiores vilões é o sedentarismo, que leva ao sobrepeso e à obesidade, juntamente com uma alimentação rica em gordura saturada, são uma espécie de bomba relógio para o coração.

Hipertensão, diabetes e tabagismo são outros vilões para se desenvolver doenças cardiovasculares.

As 10 doenças cardiovasculares mais comuns

1) Angina.

Especialistas não consideram a angina uma doença, mas sim um dos sinais de que algo não vai bem com o coração. Trata-se de uma dor forte ou desconforto localizado bem no centro do peito. Normalmente surge junto com outros sintomas, como uma sensação de pressão, aperto ou queimação acima do tórax. Em casos mais graves a dor pode também se espalhar para os braços, costas, pescoço ou mandíbulas. É causada pela interrupção parcial da passagem do sangue para o coração, impedindo que ele receba oxigênio e nutrientes suficientes para continuar funcionando normalmente.

2) Aneurisma da aorta abdominal.

Trata-se de uma dilatação preenchida com sangue localizada na parte da aorta que passa pelo abdômen. Há um grande risco de que, com o tempo, esta protuberância venha a enfraquecer, podendo se romper e levar a uma hemorragia interna. Na maioria dos casos não apresenta sintomas, sendo diagnosticada em exames de rotina. Não há uma causa definida para essa doença, mas acredita-se que possa estar relacionada a uma fragilidade na parede da aorta, ou mesmo por uma obstrução das artérias (aterosclerose). O fator hereditário também não é afastado pelos especialistas.

3) Arritmia.

Pode ser definida como um distúrbio do batimento ou ritmo cardíaco, tendo como sintoma o batimento muito rápido (taquicardia), muito lento (bradicardia) ou mesmo irregular. Geralmente é causada por problemas no sistema elétrico de condução do coração, podendo ser motivadas por: ataque cardíaco, cardiomiopatia, artérias bloqueadas, hipertensão, diabetes, hipertireoidismo, fumo, alcoolismo, consumo exagerado de cafeína, uso de drogas em geral e estresse.

5) Ataque cardíaco (infarto agudo do miocárdio).

É provocado pela falta de sangue e oxigênio no músculo cardíaco, em função de uma obstrução da artéria coronária. Os principais sintomas são: dor no peito, sudorese, falta de ar, mal estar súbito. Especialistas indicam que logo aos primeiros sinais de ataque cardíaco é importante levar o paciente imediatamente ao hospital, uma vez que o risco de morte vai aumentando em 10% a cada minuto. Até que o atendimento seja feito por profissionais, a massagem cardíaca pode ajudar a reduzir os danos.

6) Doença cardíaca congênita (cardiopatia congênita).

Trata-se de uma alteração na estrutura do coração presente desde o desenvolvimento do feto, ainda na gestação. Dados da American Heart Association indicam que este problema afeta cerca de 1 em cada 100 crianças.

7) Doença vascular periférica.

É um problema gerado pelo acúmulo de gordura nas artérias periféricas (braços, pernas), causando a redução ou mesmo obstrução do fluxo sanguíneo. Os principais sintomas são dores nos membros, dormência e queda de temperatura local.

8) Endocardite

É também conhecida como infecção valvular, tratando-se de uma infecção no endocárdio (revestimento interno do coração). Na maioria dos casos é causada por bactérias ou germes que saem de outra parte do corpo e chegam a áreas já afetadas do coração por meio da corrente sanguínea. Entre os principais sintomas estão febre e calafrios, fadiga, dor nos músculos e articulações, sudorese noturna, respiração curta, palidez e tosse persistente. Somente em casos raros a doença atinge pessoas com o coração saudável.

8) Insuficiência cardíaca.

É quando o coração não possui mais força para fazer o bombeamento de sangue para o resto do corpo. Divide-se em dois tipos:

  • Sistólica: nos casos em que o músculo cardíaco não consegue bombear ou ejetar o sangue para fora do coração!
  • Diastólica: quando estes músculos ficam rígidos e não se enchem suficientemente de sangue.

 

9) Miocardite.

Pode-se definir como a inflamação de um músculo do coração chamado de miocárdio, podendo ser causada principalmente por infecções por vírus, bactérias, protozoários ou fungos, uso de certos medicamentos, doenças autoimunes, consumo exagerado de álcool ou drogas. Muitas vezes apresenta poucos ou mesmo nenhum sintoma. Entre as consequências da doença podemos citar a falência da bomba cardíaca (redução de sua capacidade de bombear sangue), além de causar arritmias cardíacas.

10) Tumores no coração.

É considerado tumor todo tipo de crescimento celular anormal, podendo ser benigno ou maligno (câncer). Quando sua origem é no próprio coração, chama-se primário ou primitivo, mas os deste tipo são bem raros. Os mais comuns são os denominados secundários, casos em que são originados da metástase de tumores malignos em outras partes do corpo e vão para o coração. A maior parte dos tumores primários do coração são benignos (75%), enquanto os secundários são sempre malignos. Em muitos os tumores no coração não apresentam sintomas, podendo levar, em pouco tempo, ao surgimento de outras disfunções cardíacas fatais. Entre as quais, a insuficiência cardíaca súbita.

Fonte: A Revista da Mulher 

Adicionar Comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados*

oito + 4 =