5 doenças mais comuns nos dias quentes.

5 doenças mais comuns nos dias quentes.

Chegamos em dezembro, em poucos dias estaremos no tão esperado verão, período do ano onde as temperaturas tendem a ficar cada vez mais elevadas. Por um lado surge a euforia das férias e a possibilidade de dias mais longos para aproveitá-los. Por outro, vem a preocupação causada pelas chamadas doenças de verão.

Alguns cuidados devem ser tomados durante esta estação a fim de evitar os imprevistos na saúde. Para se prevenir das doenças mais comuns do verão, é preciso antes de tudo, conhecê-las.

Elencamos as 5 doenças mais comuns nos dias quentes.

  1. Desidratação

Possivelmente a enfermidade com mais relevância nesse período. Devido à complexidade da maravilhosa máquina chamada “CORPO HUMANO” temos uma forma bastante eficiente de evitar o superaquecimento: o suor. Mas o suor faz com que ocorra perda de líquidos e se essa perda for excessiva, o organismo começa a falhar e surgem os sintomas da desidratação. O que começa como uma sede pode até mesmo levar a pessoa ao coma.

Mas o “remédio” para resolver essa situação é simples, basta seguir uma regra: beba água. Porém algumas dicas servem para evitar que a desidratação ocorra. Cuide da alimentação e consuma muitas frutas e sucos para garantir não só a hidratação, mas também a energia necessária para enfrentar os dias de sol. Além disso, tome muito cuidado com a prática de atividades físicas ao ar livre. De preferência para os horários em que o sol e o calor não estão tão fortes, para realizar seus exercícios.

  1. Otite

Devido ao acúmulo de água no canal auditivo, que é muito comum em uma época tão propícia a mergulhos em praias e piscinas, surgem as inflamações no ouvido, essas são chamadas de OTITE. O desenvolvimento de bactérias no ouvido pode provocar dor aguda e febre além de ser algo muito incômodo.

O tratamento pode incluir antibióticos, que deve ser prescrito por um médico.

Mas para evitar contrair essa enfermidade suspenda qualquer atividade de mergulho assim que perceber o menor sinal de desconforto no ouvido.

  1. Intoxicação alimentar

As altas temperaturas do período diminuem o tempo de conservação dos alimentos que NÃO são mantidos sob refrigeração adequada. Devido a isso muitas vezes acabamos consumindo alimentos contaminados. As consequências incluem vômitos, diarreia e febre, podendo causar desidratação e um grande mal-estar. É importante ter muito cuidado com alimentos expostos.

Observe bem como estão acondicionados os alimentos nos locais onde você costuma comprá-los.

  1. Micoses

O ambiente perfeito para o desenvolvimento dos fungos causadores das micoses são as áreas quentes e úmidas do corpo. A mistura de calor, suor, praia e piscina é um convite à proliferação desses microrganismos. As regiões mais frequentemente afetadas pelo problema são as ricas em queratina e nas áreas menos ventiladas que ficam quentes e úmidas, como couro cabeludo, axilas, embaixo dos seios (mulheres), virilhas e entre os dedos do pé. Os sintomas incluem vermelhidão, coceira e ressecamento da pele.

Algumas dicas para evitas as micoses:

– Dê preferência a roupas íntimas de algodão;
– Seque todas as roupas ao sol;
– Nunca compartilhe toalhas e sabonetes;
– Evite ficar com roupas molhadas por muito tempo;
– Prefira calçados abertos para melhor ventilação;
– Evite utilizar pentes e escovas de cabelo de outras pessoas;
– Sempre use calçados e evite pisar descalço em chão úmido;
– Após o banho, enxugue bem as áreas do corpo, principalmente virilhas e dedos do pé;
– Tome cuidado com os objetos da manicure, como tesouras, lixas, alicates. Sempre devem estar esterilizados.

  1. Arboviroses

Arboviroses são as doenças causadas pelos chamados arbovírus, que incluem o vírus da Dengue, Zika vírus, febre chikungunya e febre amarela. A classificação “arbovírus” engloba todos aqueles transmitidos por artrópodes, ou seja, insetos e aracnídeos (como aranhas e carrapatos).

Para prevenir a picada, veja as melhores atitudes:

  • Use repelente industrializados ele tem substâncias que impedem a aproximação do mosquito, evitando a picada. Mas tome cuidado com os repelentes naturais, já que sua duração e eficácia não são garantidas
  • Prefira roupas longas – as roupas servem como uma barreira para o mosquito, que só pica em regiões de pele exposta
  • Evite roupas coloridas e perfumes – os mosquitos são atraídos pelas cores e pelos perfumes
  • Use telas e mosquiteiras – elas impedem a entrada de mosquitos em casa e também que mosquitos que já estejam dentro ataquem durante a noite
  • Entenda os hábitos do Aedes – o mosquito circula ativamente no começo da manhã e no final da tarde. No entanto, se houver um criadouro dentro de casa, eles podem atacar a qualquer momento, por serem predadores oportunistas, ou seja, que se alimentam sempre que tem oportunidade.

Evitar o acúmulo de água parada em plantas, vasos, pneus, calhas ou em qualquer outro ambiente, é a melhor e mais correta medida a ser tomada para evitar criadouros de insetos.

Lembre-se que, quanto mais cedo for feito qualquer tipo de diagnóstico maior é a chance de cura.

Agende já a sua consulta!

 

Adicionar Comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados*

8 + 13 =