Dieta sem acompanhamento nutricional e seus riscos.

Dieta sem acompanhamento nutricional e seus riscos.

Pensando somente nas questões estéticas, muitas pessoas arriscam ao fazer dietas sem o devido conhecimento necessário e deixando de lado as complicações que podem vir a ocorrer na saúde de cada uma delas.

Algumas pessoas buscam soluções imediatistas através de dietas que prometem resultados rápidos e sem esforço. Muitas destas dietas são divulgadas em revistas, na internet e até em programas de televisão.

Uma dieta sem acompanhamento profissional pode causar efeitos colaterais como por exemplo: dores de estômago, tonturas, dor de cabeças, enjoos,  perda de unhas e cabelos, dificuldade de concentração, diminuição de massa magra (músculos), etc. Além de deixar o organismo desequilibrado e baixar a imunidade corporal.

Relacionamos abaixo alguns riscos que essas dietas podem apresentar. São elas:

1.     Deficiência Nutricional

Dietas à base apenas de algum grupo de alimentos como por exemplo: carboidratos, proteínas, fibras ou líquidos, são prejudiciais à saúde. Isoladamente, esses grupos alimentares não são  capazes de oferecer todos os nutrientes de que o organismo necessita, podendo ocasionar déficit de vitaminas e minerais

2.     Resultados temporários (efeito sanfona)

A terno “efeito sanfona” é caracterizado pela perda de peso e recuperação do mesmo em um curto período de tempo. Quando ocorre essa grande redução de musculatura, as necessidades de energia diminuem e, ao interromper o regime, a pessoa volta a engordar. O “efeito sanfona” é comum em dietas sem equilíbrio adequado de nutrientes, que prometem emagrecimento rápido. O efeito sanfona também sobrecarrega os órgãos, o que torna difícil o emagrecimento ao longo do tempo.

Ou seja, esse processo coloca a saúde em risco por um objetivo que não se manteve a longo prazo.

3.     Não conhecer suas necessidades diárias

Muitas pessoas não gostam de realizar deitas por acreditar que é necessário cortar muitos alimentos do cardápio, mas para que isso não ocorra, o nutricionista analisa quais são as preferências alimentares do paciente, como é a sua rotina, se há uma demanda nutricional específica ou a falta de algum nutriente no corpo, entre outras características. Com base nessas informações, o nutricionista irá propor um plano alimentar personalizado, respeitando suas preferências e condições, assim você não precise abrir de tudo aquilo que você gosta como por exemplo do churrasco do final de semana, porém, talvez seja preciso optar por carnes mais magras.

4.     Distúrbios alimentares

O lado psicológico também deve ser considerado. Muitas vezes após uma dieta “fracassada” pela falta de acompanhamento profissional, acabam encontrando na comida um alívio para o estresse e usam como uma muleta que pode levar a um caminho muito perigoso: o da compulsão. O ato de comer torna-se muito mais do que apenas uma forma de se alimentar — transforma-se em uma necessidade emocional. Distúrbios alimentares como bulimia e anorexia também  podem surgir através do tempo

A reeducação alimentar, que nada mais é do que fazer algumas substituições e aprender a comer alimentos mais saudáveis ainda é a melhor forma para evitar todos esses problemas. Por isso a importância de um acompanhamento profissional com o seu nutricionista.

Agende sua consulta.

Adicionar Comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados*

vinte − sete =